A Dani

Vou escrever essa parte em primeira pessoa, afinal, sou eu que estou aqui contanto para vocês! Meu nome é Dani Dalledone e sou Curitibana, nasci e moro aqui.

Acho que como na maioria das famílias, a minha Bisa fazia crochê. Fazia colchas, muitas colchas! E ela passou seus ensinamentos para as filhas e depois para os netos. Colocava todos no sofá para fazer rosetas, meninas e meninos. Então essa onda de homens fazendo crochê não é tão nova quanto parece, já que  meus primos aprenderam também! Para os bisnetos ela não ensinou, porque já estava muito velhinha. Mas a minha vó me ensinou quando eu era bem pequena (não lembro exatamente a idade). Sei que fiz coisinhas pra bonecas, sapatinhos, uma blusinha de lã… Na adolescência fiz bolsas, cropped (sim, os croppeds tem mais de 15 anos)… e aí perdi o interesse do crochê.

Formação

Sempre tinha linhas e agulhas em casa, fazia uma coisinha ou outra quando dava vontade. Mas as revistas de crochê já não combinavam muito com meu gosto. Comecei a fazer scrapbook, pintura e outros artesanatos diversos.

Em 2006 tive a sorte de encontrar um curso que era perfeito para mim: Design Gráfico. Nunca amei tanto ir para aula quanto nos 4 anos da faculdade. Nas primeiras semanas eu nem conseguia acreditar o quanto me identificada com as matérias, professores e tudo mais. Apesar de já ter um certo dom para o artesanato, cursar essa faculdade foi essencial para refinar qualquer trabalho que me proponho a fazer. Aprender nunca é demais e sempre agrega algo positivo.

Trabalho

Depois de formada trabalhei como designer em uma empresa, em uma gráfica e em uma agência. Mas eu queria trabalhar algo que tivesse mais sentimento envolvido. Foi quando me tornei MEI, trabalhando com papelaria para eventos e festas. Foram 5 anos trabalhando com isso, quando meio sem querer o crochê ressurgiu na minha vida. Descobri as redes sociais de artesanato estrangeiras onde buscava inspiração para as minhas papelarias, e foi aí que coisas incríveis de crochê apareciam vez ou outra. E eu pensava “Meu Deus isso é crochê!! Que coisa mais linda!”. Muitos trabalhos variados, indo além do que vimos por aqui e de um gosto para combinação de cores impecável. Não deu outra, busquei minhas linhas e fiz algumas coisas para usar em uma decoração de festa.

Quer ver mais papelaria? Clica na imagem!

A volta do crochê

O crochê foi entrando devagarinho no meu cotidiano novamente. E foi quando me arrisquei a fazer a almofada da coruja. E daí para os amigurumis foi um pulo! A primeira aula que dei foi em julho de 2014, de crochê básico. Elas eram bem esporádicas, já que eu trabalha com outra coisa oficialmente. Em novembro de 2014 criei a THM para não misturar com outros trabalhos, afinal os públicos eram diferentes. E o meu amor pelo crochê e o interesse das pessoas em comprar e em fazer o curso foi crescendo tanto que em 2016 decidi tornar a THM meu trabalho oficial e parar (ainda não se para sempre ou por um tempo) com a papelaria para eventos. Não foi uma decisão fácil, mas aqui estamos!